17 de agosto de 2011

Felipe e escola.


Quando concordei em sair de casa para voltar ao trabalho, foi por que eu sabia que o Felipe estaria em boas mãos.
A escolinha que ele está hoje com ctz me deixa tranquila na maioria dos aspectos, não vou dizer todos, por que tem algumas coisinhas minimas ali que eu não concordo, mas enfim.

Ano que vem vamos nos mudar, compramos o nosso apto e ele vai ficar pronto na metade do ano que vem, só que... a escolinha do Felipe vai ficar super fora de mão. E dai?

E dai que eu já esperniei, já quis vender o apto e comprar outra coisa no bairro que estamos, já cogitei parar de trabalhar para ficar em casa novamente com o Felipe. Mas não, nada disso será possível.

Quando me convenci em mudar de bairro, comecei a pesquisa escolinhas na região, e nesse mesmo dia uma amiga citou escolas que usam o método Waldorf, eu me interessei e fui procurar. Eu li sobre e achei muito legal, mas fiquei um pouco apreensiva quanto ao valor, e quanto ao método mesmo, se ele funciona, se não é prejudicial para o aprendizado futuro, etc, deixei pra lá.
Então na minha busca por referencias e escolinhas próximas ao nosso futuro lar, encontrei uma dessas escolas pertinho, especulei e descobri o valor da mensalidade e gostei $$ não é tão cara quanto eu imaginei.

Estou cada dia mais convencida que quero sim colocar o Felipe em escolas com esse sistema. Por que?
Por que eu quero uma criança, não um mini gênio dentro de casa.

Não quero meu filho com três anos falando inglês e frances, totalmente alfabetizado, cheio de pressão e responsabilidades tão cedo. E infelizmente hoje a maioria das escolinhas são assim.
O Felipe com quase dois anos tem aula de informática. Pra que? Muito mais legal se ele tivesse aula de capoeira então!

O método Waldorf é algo muito legal, tem "jeitinho" de infância.
Eles aprendem com a natureza, a alimentação é super saudavel, lá eles não passam a tarde chuvosa assistindo TV, alias lá eles não tem TV.
As aulas e a proposta da escola é humanizar, trabalhar na formação do carater do ser humano.
Muito Hippie pra você? Eu também achei no inicio, mas depois de conversar com muitas mães que conhecem essa pedagogia vi que é bacana.

E vc? Já pensou sobre isso?


Uma das principais características da pedagogia é o embasamento na concepção de desenvolvimento do ser humano, criada pelo próprio Rudolf Steiner, que leva em conta as diferentes características das crianças e jovens, segundo sua idade aproximada. Um mesmo assunto é abordado várias vezes durante o ciclo escolar, mas nunca da mesma maneira, e sempre respeitando a capacidade de compreensão da criança.
Almeja-se que as aulas sejam um preparo para a vida. Procura-se desenvolver as qualidades necessárias para que os jovens floresçam e saibam lidar com as constantes e velozes mudanças que se apresentam no mundo, com criatividade, flexibilidade, responsabilidade e capacidade de questionamento.

Entende-se que o jovem, cada vez mais, precisa ser articulado e capaz de se comunicar claramente, tanto se abrindo para o que os outros têm a dizer como encontrando a melhor forma para expressar seus pensamentos ao mundo. Para tanto, a Pedagogia Waldorf, segundo seus adeptos, permanece revolucionária até os dias de hoje.
Para atingir a formação do ser humano, a pedagogia atua no desenvolvimento físico, anímico e espiritual do aluno, incentivando o querer (agir) por meio da atividade corpórea das crianças em quase todas as aulas. O sentir é estimulado na constante abordagem artística e nas atividades artesanais específicas para cada idade. O pensar é cultivado paulatinamente, desde a imaginação incentivada por meio de contos, lendas e mitos – no início da escolaridade –, até o pensar abstrato rigorosamente científico do Ensino Médio (colegial).Uma das características marcantes da Pedagogia Waldorf é o fato de não se exigir do aluno, ou cultivar precocemente o pensar abstrato (intelectual).

12 comentários:

Ju Louseiro disse...

Dii, nunca tinha ouvido falar desse metodo, mas deve ser bem legal!


Um beijo =)

www.fuxicodenoiva.com.br
http://casamentodossonhos-juefe.blogspot.com

Sra. Mari disse...

Aqui tem escolinhas com essa filosofia, mas nao usam esse nome pro método.
Meu sobrinho estudou em uma delas e ele tinha capoeira, trabalhava na horta da escola, é bem fofo.

Bjocas

Camila Gomes disse...

Dina, eu vivo pensando em qual escola colocar o Murillo.
Penso igual você não quero um super gênio

Fernanda Lucas disse...

Dina na Crescer de Julho tem uma matéria super bacana sobre os diversos metodos de ensino.
Eu me identifiquei com o metodo, mas aqui onde moro não existem escolas com esse sistema de ensino, uma pena!
Sorte pra vcs na busca.
Bjos

Ártemis disse...

Acho que aqui temos duas escolinhas Wardolf, uma no Juvevê e outra no Mossunguê.

Fui conhecer a do Mossunguê no fim do ano passado, é lindíssima, mas eu precisava de período integral (o que vai meio 'contra' a proposta da escola) e ia me estourar o orçamento (dois filhos, né) e não cumpria os horários que eu precisava. A do Juvevê é longe demais pra mim.

Mas o que pegou no Wardolf foi que a alfabetização é mais tarde (o que seria injusto com meu mais velho dada a etapa em que ele se encontrava da alfabetização), me sentiria 'sonegando' algo que ele já estava preparado.

Conheci outra linda, uma chácara, no ecoville (não Waldolf). Proposta fantástica, mas ouvi comentários de que não cumpria a proposta.

Optei por escolinha de bairro (no Novo Mundo), menor. Tem me surpreendido positivamente, mesmo tendo as famigeradas apostilas Positivo (deve ser a partir de 4 anos, acho). Escola do tipo que tem capoeira ao invés de judô, dança ao invés de balé, violão, etc.

Milena, A Mamãe da Isadora!! disse...

Oi Flor, achei seu Bloguinho atravéz dos blogs q sigo, amei seu cantinho!!! que Lindo seu princepe! já estou te seguindo e ficarei muito feliz se nos seguir tb!!

BjOOO

Dri Viaro disse...

Oi Dina, parece interessante o método de ensino dele, salvo de que enquanto seu filho está com essa idade é bom, mas quando ele crescer mais será que este método não é um pouco "devagar" demais?
tem q ver bem né?

beijos

Grazi, mãe do Principe disse...

Oi Dina, ando sumida, mas consegui um tempinho pra passar aqui . olha a escola é sempre uma decisão dificil. Eu tive muita sorte , pq qdo estava a busca , não tinha referencias, fui no porta a porta conhcer as escola e achei a Escala . O principe é muito feliz la . fazem atividades ,tem apostilas e isso tem ajudado muito do desenvolvimento dele. Eles tem aividades ao ar livre .
Boa sorte na busca !!!

Rafaella disse...

Adorei o metodo, e criança tem que ser criança, essas coisas eles tem uma vida inteira pela frente para aprender...
E se vc gostou vai em frente mesmo...
bjo

Andrea disse...

A CRIANÇA VAI CRESCENDO, AS FASES VÃO MUDANDO, E AS PREOCUPAÇÕES TAMBÉM VÃO MUDANDO ... ESSA É A SINA DE UMA MÃE!!! ACHO QUE TODAS PASSAMOS POR ISSO E NÃO HÁ NADA DE ERRADO EM NOS PREOCUPAR, EM NOS SETIRMOS CULPADA E EM BUSCARMOS CONHECIMENTO ... FIZ ISSO TUDO QUANDO A MANU ENTROU PARA A ESCOLA E HOJE TENHO CERTEZA QUE A MÃE QUE SE PREOCUPA COM O FILHO FAZ SEMPRE AS ESCOLHAS CERTAS. VOCÊS COM CERTEZA ESTÃO ACERTANDO NAS ESCOLHAS QUE FAZEM PARA O SEU PIMPOLHO.
BJS.
ANDREA, MAMÃE DA MANU E DA MARI
MANIAS DE SER MÃE.BLOGSPOT

Tati disse...

MIga q bom né ?! Ano q vem eu volto a trabalhar e muito provavel q eu coloque a Alicia na mesma escolinha q o Pedro estuda, mais é otimo ter mais opções né ?!

Um beijo

Kira disse...

Esse sistema não é aquele que a criança não tem contato com livros e nada para ler/escrever até os 7 anos de idade?

Por um lado acho incrível, porque né, esse negócio de enfiar 15646 atividades para uma criança de 2 a 7 anos é horrível, deixa a criança stressada e cheia de responsabilidades cedo demais! Sem contar que, uma criança antes de ser alfabetizada não deveria ter aula de linguas estrangeiras nem de informática, totalmente desnecessário!!!


Beijos amore!

http://parabeatriz.blogspot.com