12 de julho de 2010

Mães


Lendo um post de uma amiga twittera resolvi posta-lo aqui. Afinal concordo com ela em todas as linhas... escrito pela Tatiana, e copiado por mim, como se ela tivesse lido minha mente.
(...) Uma coisa eu que me incomoda demais são as pessoas que acham que só tem um jeito certo na vida para educar os filhos. E claro que esse jeito é o jeito dessas pessoas, né? Claro. Então vem as pérolas que dizem que você é menos mãe se tem filho por cesariana, é menos mãe porque não amamenta, é menos mãe porque dá outros alimentos antes dos 6 meses, é menos mãe porque trabalha fora, é menos mãe porque tem uma babá, é menos mãe porque põe o filho na creche. Eu poderia passar o resto do dia aqui falando isso.

Acontece que NÃO existe SÓ UMA forma de criar os filhos. E sabe por que? Justamente pelo que falei lá em cima: cada ser humano é um ser humano diferente. Tanto as mães quanto os filhos. Então dizem: é fácil amamentar. Pode ter sido pra você, mas tem outras milhares de mães por aí que também queriam muito e não conseguiram. Eu tenho algumas amigas que passaram por isso e sofreram bastante, coitadas. (Flavinha não me deixa mentir, né sister?). E sofreram principalmente por causa dessa opressão generalizada. Dá pra crer que a paravam na rua e diziam "coitadinho", quando ela falava que não conseguiu amamentar? Pois é, Pedrão é 3 dias mais velho do que a Alice e tá lá, lindo, forte, sapeca e saudável. E engatinha desde os 6 meses. Alice com 8 meses ainda não engatinha. Dá pra comparar então?

Uma mãe não é boa mãe porque introduz alimentos antes dos 6 meses? E as que precisam trabalhar, vão matar seus bebês de fome? Decerto isso é ser boa mãe, deixar as crianças desnutridas. Uma mãe é imperfeita porque contrata uma babá para ajudar em casa? Então carregar o mundo nas costas e ficar sobrecarregada e estressada deve ser requisito pra ser boa mãe, certo? Uma mãe é partidária de dar palmadinhas nos filhos, isso dá direito a outra pessoa de vir criticar? Como disse minha amiga Marília Mercer, eu gostaria da minha parte dos palpites em fraldas, por favor.

Algumas pessoas por aí dizem que não existe isso de SER MENOS MÃE. Eu acho que existe sim. Uma mulher é MENOS MÃE DO QUE OUTRA quando negligencia os filhos, quando espanca as crianças a ponto de mandar pro hospital, quando as deixa sozinhas em casa de noite para ir pro bar encher a cara, quando abandona um recém nascido na lata do lixo e não se arrepende do que fez. Assim como a lista de críticas, eu poderia passar o resto do dia aqui listando a lista das mães que são menos mães do que as outras.

Se uma mãe ama seu filho, ela é quem sabe o que é melhor pra ele. Ela pode estar errada? Claro que pode! Mas o que dá direito a outra pessoa ir lá criticar? Por acaso ela também não está errada em nada, nadinha? Nunca vai estar? Pois é, entramos na velha história de atirar a primeira pedra.

Acho que poderíamos propor ao mundo um acordo: vamos ser mais solidários com o próximo, tentar enxergar melhor as dificuldades do outro. A maternidade precisa ser mais valorizada e menos criticada. (...)

6 comentários:

L@N disse...

Ser mãe é ser vc, do jeitinho que vc é nem mais nem menos. É um elo que só vc e este bebe mais lindo do mundo sabem. Mesmo porque mãe é amor e amor simplesmente não se explica.

Beijos lindona, e um aperto neste bebe mais fofurinha que eu ja vi.

L@N

Grazi, mãe do Principe disse...

nossa adorei o texto , assino em baixo tambem .
Ser mãe é descobrir do seu jeito a forma de arrancar um sorriso do seu filho todos os dias ...

viajenaleitura.com.br disse...

Dina!

Nossa, me embasbaquei pelas palavras da Tatiana, mãe é única, e os filhos também, as impressões digitais são provas da nossa individualidade, sou contra o método perfeito, ele simplesmente, não existe...

beijão no Fê;)

Thá

Fabiana disse...

É... fácil falar e criticar as outras mães.

Mas vai saber se não vamos passar pelas mesmas dificuldades e ter as mesmas atitudes.

Por isso, todo cuidado é pouco qdo falamos dos outros, né?!

Eu me policio muuito com isso. Justamente para não cometer injustiças.

Aline Cristina disse...

Concordo com vc em todos os sentidos. Cada pessoa passa por situações diferenciadas. E não podemos criticá-las apenas ouvir. Afinal eu creio que este mundo de mamães blogueiras veio para isso. Para aprendermos juntas e trocar experiências.

bjs,

Rajah Mello da Luz disse...

O Felipe é tão lindo.. tem um sorriso tão lindo...
Dina.. Parabéns pelo filho que tem... ele é uma graça..
beijos