20 de junho de 2011

Sentimento de mãe.


Dai que sexta feira vim trabalhar pela manhã.
Deixei o Fe na escolinha às 7:30, tudo ok. Às 11:30 me ligam da escola, ele estava com 39,5 de febre. Eu quase morri, pedi pra medicarem ele lá mesmo que eu ia dar um jetio de alguém busca-lo.
Estava sozinha na empresa, não tinha como largar tudo e ir embora, o Ivan não podia sair pra busca-lo, liguei pra minha mãe e ela foi.

Me senti uma "mãe de merda" ao pé da letra, sem brincadeiras e nem humor. Me senti fracassada, era a primeira vez em que eu não estaria com o meu filho quando ele precisasse. Chorei trancada no banheiro.

Em seguida sai almoçar, marquei otorrino pra ele - eu suspeitei que fosse garganta, pois ele tava com um halito estranho há uns dois dias - e relaxei. Infelizmente, como uma amiga minha disse, eu sou adulta, tenho minhas responsabilidades e a minha mãe pode nos ajudar.

Voltei do almoço, liguei pra ver se minha mãe já havia buscado ele, como ele estava, se comeu, fez xixi, dormiu, enfim... e ela me disse: "Olha filha, eu acho que esse menino tá bem, ele tomou suco e tá aqui pulando no sofá!" Minha mãe me fez sorrir.
Esse é o meu filho, o Felipe desde RN nunca se abalou com nada, sempre ligado no 220. Nada derruba ele, e isso me deu forças pra enfrentar bem o dia, ele podia estar doentinho, mas ele é forte e já já eu estaria com ele, mimando e dando muito colo.

Às 15 horas, lá foi o Ivan leva-lo ao Otorrino, e eu?? Ligando de 10 em 10 minutos - "Amor, pergunta isso, diz isso, e fala daquilo tmbm viu!" E ele de saco cheio do outro lado da linha só concordava.
A noite eu tinha marcado de ir ao salão, no caminho estava naquela de vou ou não vou. O Ivan me perguntou o por que eu não iria e eu respondi: "Por que o Fe tá doente, precisa de mim!" E ele com toda calma disse: "Amor, vá, é só uma hora e eu tô com ele." Eu fui, como coração na mão.

Não que eu não confie no Ivan, ele cuida muito bem do Fe, mas eu não sei... Acho que perco a noção de que meu filho está grande, é saudável e não depende mais SÓ de mim pra viver. E quando esse pensamento surge, dói viu. Dói muito.

Aiaiai, independência, liberdade e um fato: NÓS MÃES PRECISAMOS MUITO MAIS DELES DO QUE ELES DE NÓS.

Vida cruel, filhos ingratos, hoje é o presente eu já sofro com o futuro, o dia em que o meu Princeso que hoje pesa 14kg, mede 96cm e calça 24 será um homem feito e sairá debaixo da minha asa.

Filho, mamãe te ama viu!
Se um dia você casar, posso ir morar com você? Deixa, vai!!!

PS: Princeso já está 99% =)

11 comentários:

Lu,mamãe do Deko e da Leka disse...

Ai sofro muito com essa "liberdade" do andre,meu marido falo amor corta o cordão,mas é muito duro fazer isso fico com o coração apertado,fiquei louca quando soube que ele meu marido nao estava mais o levando ate a porta da sala,que agora ele coloca dentro do predio e ele vai,ei como assim ele é so um bebe...ai ele disse amor acorda ele ja esta grande,foi tao dificil perceber isso!beijinhos e melhoras ao filhote

Gabriela Teixeira disse...

Olha Dina, a minha vontade é de largar o serviço e sair correndo atrás do meu filho...mas sei que não se pode fazer esse tipo de coisa neh! hahha...enfim, NÓS somos dependente deles, não consigo imaginar meu pitoco grande, queria taaanto que ele ficasse sendo meu bebê pra sempre! Ownnn, como sofro!
Bjokas

Mamãe Jú disse...

hahahahahaha
tive que rir... mas tb sofro quando percebo que minha pequena ja esta tao independente.

Mãe é realmente tudo igual
kkkk
E como ele esta???
bjos e boa semana

Sra. Mari disse...

Bem..eu n tenho filho, mas vc sabe q sou a 3a mae do meu sobrinho. E o dia q eu casei e fiz as conras q quando eu fizesse 10 anos casada ele teria 18 anos. Oi? Sofro um tiquinho toda vez q eu penso q ele n é mais meu bebê, q faz 10 anos esse mes e q a ultima coisa q ele me pediu foi pra criar um orkut pra ele. Oi? Te entendo bem... Aproveita muito o fê em cada fase pq infelizmente passa rapido. Bjocas da tia mari

Nat disse...

Ain, viu!
Nem tenho filhos e já não quero que eles fiquem independentes!!!!!!hahahahahahahahahahahahaha
Quero ele sempre falando mãe eu quero isso...mãe eu quero aquilo...
Egoísmo né?
Mais ate lá eu mudo...rsrsrsrs

bjos
amo

Suzana Lira disse...

Quem bom que ele jah esta 99% rsrsrs


bjo

Clau disse...

Oi Dina...

Dina você é uma mãe maravilhosa!!! Ainda bem que vc pode contar com a sua mãe... já aqui é só eu ou o Ri...

Grande beijo

Ju Louseiro disse...

Aaai, mãe é mãe, né? Eu tentaaando imaginar como isso deve ser não chego nem a 1% do sentimento real...

Ah, acho que a sua futura nora vai AMAR que o Fe te leve pra morar com ela, hsuahsuahs.


Um beijo =)
www.fuxicodenoiva.com.br
http://casamentodossonhos-juefe.blogspot.com

disse...

Oi Dina...eu não tenho minha mãe por perto, e meu marido trabalha em outra cidade, então, quando me ligam da escola, corro para "acudir" meu filhote. Apesar que ele está numa fase mais "independente" que o Fe, o meu mocinho já tem 9 anosss,e uma namorada,hahaha. Mas não tem jeito criança é criança e esses incovenientes fazem parte da nossas vidas de mãe.
Que Bom o Fe já esta bem!
beijos

Juliana disse...

Ai, Dina, a coisa é bem assim mesmo, quem é dependente é a gente e não nossos filhos, quando um dos dois aqui de casa tem alguma coisa, quem parece estar doente sou eu.

Cin disse...

Gostei do seu jeito sentimental e divertido de escrever. Mto bom o blog, parabéns! Bjos!